domingo, 31 de maio de 2015

Oi, tem alguém aí? Se tiver espia: voltei e trouxe tutorial de bolsa para projetos de crochê e tricot

Depois de um intervalo bem grande posso dizer que consegui fazer algumas coisas acontecerem, entre elas: terminei minha tese!!!!! 
Eu depois da defesa posando sorridente com a banca: Dra. Vera Gaspar (UDESC), minha orientedora Dra. Gizele de Souza (UFPR), Dra. Susana Sosenski (UNAM, México), Dra. Dulce Osinsnki (UFPR), Dra. Diana Vidal (USP). Alívio traduz!

O fim do doutorado foi clássico, com muita angústia, noites em claro, tendinites, energéticos, visões da linha de chegada, sacadas incríveis, comer compulsivo, choro, riso e a descoberta daquela força interna que a gente só aciona quando realmente precisa. Por fim valeu muito a pena e o resultado final me deixou muito feliz.
Agora respiro aliviada e posso retomar alguns projetos, escrever mais livremente e tentar outras aventuras. Escrevo muito no facebook mas não acho que seja o melhor canal para me expressar, é tudo muito rápido lá, o espaço para elaborar o texto, o formato é todo muito menos pessoal do que o blog, principalmente para falar de craft, por isso vou aos poucos tentar acordar a cigarra e reaprender a mexer no blog.
No percurso do doutoramento morei alguns meses em Montevidéu e foi uma aventura...lá, sem a máquina de costura  acabei me aproximando das lãs e labores de agulhas. Eles tem uma forte tradição de tecer, as pessoas tricotam em praças, no ônibus, nas repartições, os mercados tem sempre uma gôndola de lã e as lojas de lã são um sonho que vou mostrar aos poucos. 
Jovens tricotam na rambla.

Esta loja é sonho: Las labores.

Modernas e tricoteiras, hahah.

Aprendi um pouco e me apaixonei pela praticidade do tricô e do crochet como crafts portáteis, meditativos e silenciosos...
Esta sou eu no ligeirinho indo trabalhar em Curitiba. O bonde das crocheteiras...

Por isso a primeira postagem P.D. (sim, existe vida após ou doutorado!) é um PAP desta bolsinha muito prática para quem quer carregar seu trabalho de tricô ou crochê por aí e assustar a todos sacando sua agulha de gancho na fila do mercado, no ônibus, no carro (se estiver no banco de passageiros, ok?)...Ela se acomoda no pulso e é muito charmosa.
A bolsinha pronta acondiciona bem um novelo, agulhas e o projeto em andamento. Benjamin cresceu nestes tempos gente!
A ideia foi enviada pela minha amiga cearense Gislene, que foi a primeira a tentar me ensinar crochê e é testemunha que eu não sou um talento natural pra coisa, fui um desastre no começo, gente! Fiquei olhando a foto e fiz um molde, que segue abaixo, pense nele numa folha de A4, se quiser uma bolsa maior é só ampliar.


O tamanho aqui é de uma folha A4. Resulta numa bolsa pequena como a da foto acima. Para mim é ideal, mas amplie se quiser. O molde está sem a margem de corte, um centímetro é o bastante e apenas nas duas laterais. Clique na foto para ler as medidas.
Posicione o molde sobre o tecido principal dobrado, atente que a dobra fica na parte superior do molde, na alça da bolsa. Risque e corte. ATENÇÃO, ao cortar deixe um centímetro de borda para a costura nas laterais.


Vai ficar assim depois de cortada, parece uma fralda!
Posicione a peça cortada sobre o tecido do forro, lado bonito do pano sobre lado bonito do forro, ou direito sobre direito como se diz. Alfinete e corte.
Depois de alfinetado vá para a máquina e costure as duas  laterais, deixando um pé de distância. 

Não costure o fundo da bolsa, que são estas duas partes retas nas extremidades da peça, certo?

Ao redor das partes curvas faça pequenos piques para que ao desvirar a peça fique bem esticadinha.

Fiz uma etiqueta! No algodão cru apliquei um quadradinho de cinco centímetros de papel termo colante, mas antes estampei com caneta permanente! Na minha escrevi I love crochet e na da minha filha (que é boa no tricô e crochet) I  love yarn.

Desvire a bolsa, passe com capricho e aplique a etiqueta.

Costure a etiqueta como preferir.

Agora está acabando! Vire a bolsa com o avesso para fora, alfinete as laterais como na foto  e costure o fundo e as laterais.

O resultado: Para mim fiz a pequena, para minha filha ampliei a base  e lateral em uns oito centímetros pois ela adora carregar mais de um projeto por vez. 

Bem, espero que a gente possa se ver  de novo. Um beijo da cigarra!