domingo, 31 de julho de 2011

Novo saco para marmita, ou Lancheira para gente grande!




Olha só a lancheira que fiz para a minha querida e disciplinada irmã Swuami. Ela está levando para o trabalho todas as refeiçôes que fará durante o dia e me pediu um saco de marmita como este que postei aqui. No entanto, como ando "psica" com meu livro Tildas Haus resolvi experimentar o modelo chamado "Pompadour" e acho que ele tem algumas vantagens sobre as lunch bags: é mais delicado, mais fechado e acrescentei uma alça que facilita carregar e pendurar o saquinho. Como alterei um pouco o modelo acho que posso fazer um tutorial para partilhar com vocês, em breve. Na última foto um bonus de fofura: Benjamin que agora quer fazer tudo o que a gente faz: se cozinhamos lá está ele com as panelas, se vou estender as roupas ele é que se encarrega dos grampos,se estou lendo ele se agarra aos seus livros...costurar não podia ser diferente! Viva uma educação não sexista!!

domingo, 24 de julho de 2011

Momento auto-ajuda: móbile para lavabo de restaurante "Você é linda assim como é"




Quando meu sobrinho Diego pediu ajuda para decorar o lavabo feminino de seu recém inaugurado restaurante eu sabia que ia usar algum projeto do livro Tildas House que ganhei de meu marido no meu último aniversário, afinal eu andava louca por um motivo para "ter" que fazer alguma das coisas lindas que ele traz.
Decidi usar os moldes de cortina de pia(que não fotografei)e dos corações com palavras bordadas que aparecem no livro, mas ao invés de bordar palavras soltas pensei em alinhar três corações de cada lado do espelho e escrever uma frase. Depois de refletir - sem trocadilhos - um pouco sobre a função do lavabo lembrei daquela autoconferida, por vezes cruel, que a gente dá em espelhos alheios e pensei que não faria mal nenhum lembrar à menina que se olha que ela tem mesmo uma beleza que é só dela. Assim bordei em cada coração uma palavra da simples frase: Você é linda assim como é.
A recepção às "Pílulas de Auto Estima de Andréa" no restaurante foi ótima, as meninas parecem ter curtido o lembrete.
PS: foto de espelho diante de janela fica meio esquisita, então se não conseguir ler o bordado vai por mim, acredita e imagina, certo?

domingo, 17 de julho de 2011

A cozinha raivosa de Andréa ou avental "quem avisa amigo é"


Eu adoraria dizer que a cozinha pra mim é uma diversão sem limites, que é um território onde transito feliz, leve e saltitante, sempre criativa e disposta a colocar minha "energia gracinha" em cada prato que faço...mas não é bem assim - quando seu tempo é curto, você tem que cozinhar TODO (ou quase todo) dia e seu "público" é variado como o meu (uma vegana, um ovo-lacto vegetariano , uma super-carnívora e um bebê que almoça na hora do café da manhã) cozinhar é muito menos uma baladinha bossa nova e muito mais um punk rock. Por isso embora eu goste de cozinhar e o faça até que bem, meu humor na cozinha nem sempre é dos melhores e tem dias que uma simples entrada de alguém para perguntar o que vai rolar no almoço me deixa fula da vida...palpites então são como cutucar uma onça - fico doida! Pensando nisso e nas placas de portão do tipo "cuidado cão bravo" é que decedi fazer um avental com bordado divertido sugerido no blog da Paula. O bordado ficou paradão um tempo então uma amiga concluiu para mim, fiz o avental em preto com detalhes de caveira e para dar um ar mais "Sid Vicius" enfeitei com alfinetes, corrente e um pingente bem macabro. Assim, ninguém pode dizer que não está ciente dos riscos que corre ao mexer com a cozinheira.

domingo, 10 de julho de 2011

Bonecas da Casca da Cigarra se rebelam e fogem do frio - GO TO RIO!


Foi meio isso: minha amiga "carioca swing sangue bom" Etienne mora aqui na Geladerândia e espertamente migrou em férias para local mais aprazível - Rio de Janeiro.Antes de bater asas me pediu três bonecas para levar às suas sobrinhas e fiz as Tres Marias com o mesmo molde da "Boneca de uma figa" que mostrei no post anterior, adaptado do livro Wee wonderfuls.

Na hora da despedida uma delas ficou emotiva e o Benjamin teve que dividir a chupeta para consolá-la, mas logo passou e foi um adeus alegre: Muito faceiras com seus vestidos de calor as três partiram cantarolando "Garota de Ipanema" na sexta-feira e espero que sejam bem acolhidas pelas suas novas donas! Aguardo um postal meninas!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Presente feito a mão para professora: boneca e figos!


Hoje nós encerramos a disciplina "História, Educação e Modernidade", com a Prof. Dulce Osinski. Foi uma experiência bem instigante pois juntaram-se alunos de diferentes áreas da pós-graduação para discutir estes temas e cada aula era uma aventura...Para celebrar decidimos surpreender a Dulce com um presente bem diferente: uma figueira! Roxa e produzindo...A ideia veio de uma das orientandas da Dulce que a conhece bem e sabe de sua paixão por árvores. Não foi um presente fácil de transportar, diga-se de passagem, pois o pé tinha minha altura, mas é realmente lindo (a foto acima obviamente não é da figueira, mas da minha modesta espadinha-de são-jorge)! Para acompanhar o presente fiz esta boneca, inspirada na figueira...usei os moldes de meu livro Wee Wonderfuls mas incorporei as cores da planta e bordei uma folha de figo no vestido com tecido que imita madeira. Eu achei que ficou fofa mas não pude batizá-la pois nenhum nome parecia bom: Dulce Figo? Flora Figueira? Ou a sugestão do engraçadão do meu marido: Boneca-de-uma-figa?
O bastismo ficará então por conta da querida Dulce.
No cartão um poema que eu adoro, pois faz um paralelo divertido entre árvores e livros - bem sacado, não?

As árvores como os livros têm folhas
e margens lisas ou recortadas,
e capas (isto é copas) e capítulos
de flores e letras de oiro nas lombadas.

E são histórias de reis, histórias de fadas,
as mais fantásticas aventuras,
que se podem ler nas suas páginas
no pecíolo, no limbo, nas nervuras.

As florestas são imensas bibliotecas,
e até há florestas especializadas,
com faias, bétulas e um letreiro
a dizer: «Floresta das zonas temperadas».

É evidente que não podes plantar
no teu quarto, plátanos ou azinheiras.
Para começar a construir uma biblioteca,
basta um vaso de sardinheiras.

Jorge Sousa Braga, Herbário



P.S.: as fotos não estão boas pois o editor de imagens on-line que eu uso sempre, o fácil Picnik, estáva de mau humor hoje...