quinta-feira, 29 de abril de 2010

Nostalgia: Círculo do Livro, ou: não julgue o livro pela capa





Como tenho saudades do "Círculo do Livro"! Era uma editora que funcionava como um clube: você era sócio e recebia trimestralmente uma revista com dezenas de títulos, tendo de escolher ao menos um por período. Como éramos uma família enorme, a cada três meses era a vez de dois dos irmãos escolherem, assim poderia demorar uns 9 meses para chegar a nossa vez. Mas valia à pena: foi do Círculo o meu primeiro livro "meu" - "A árvore dos desejos" do Faulkner, escolha generosa da minha irmã Sonja para me presentear quando fiz seis anos. Foi no Círculo que eu e a Cica fizemos nossa coleção macabra do Stephen King; foi do Círculo meu primeiro livro-tabu: "Cristiane F."
Tenho tanta nostalgia que hoje se encontro livros do Círculo em sebos eu os compro. O papel era ótimo, a encadernação era caprichada, mas...verdade seja dita: a arte das capas era de lascar!
Meu querido Faulkner (o melhor romancista do mundo!) deve ter se revirado sob as amadas terras do Mississipi ante a bizarrice da capa de "O som e a fúria"; Virginia Wolf só não se deprimiria com a capa de "Passeio ao Farol" porque já era deprimida; e o frágil coração de Fitzgerald sofreria ao ver os coraçõezinhos derretidos sobre o fundo roxo em "O grande Gatsby" - esta capa, confesso, de tão brega acho até fofinha.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Nosso neurônio está no Bananacraft!

Nosso neurônio de pelúcia expandiu suas sinapses e está no querido site Bananacraft!

Presente feito à mão: tiara, ou transformando um "bad hair day" em um dia de princesa


Imagens: Helena Ganzert

Um dia desses minha filha estava num humor horrível pois não conseguia arrumar o cabelo (você já foi adolescente e sabe como isso pode ser sério!). Então fiz, meio de brincadeira, uma pequena coroa com um retalho, entretela termocolante e rendinhas e colei em uma tiara velha. Ficou engraçado pois é meio rústico e desfiado, mas com ares de realeza. Ela adorou e saiu toda cheia de nobreza com sua coroa de trapos por aí. "E assim a bela mocinha tornou-se princesa e todos viveram felizes para sempre..."

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Neurônio de pelúcia, ou "hay que ser nerd, pero sin perder la ternura jamas"




Ano passado minha filha Helena teve que fazer um daqueles clássicos projetos de biologia, em que se pede ao aluno para criar um modelo de célula. Para fugir de um modelo tipo "maquete" melequenta, que usasse gelatina, massinha ou argila e que fosse impossível de carregar no ônibus ela pediu minha ajuda e pusemos nossos neuroninhos para funcionar. Juntas criamos o "Neurônio de Pelúcia"! Tá, não é bem pelúcia, mas de feltro e fizemos assim: ela desenhou o contorno do neurônio, eu cortei no feltro, costurei e enchi com fibra. Pronta esta base a Lelê vasculhou minhas gavetas de aviamentos e fez com eles as organelas. O resultado ficou divertido e agora enfeita a escrivaninha dela. A professora e alguns colegas nerds ficaram loucos por um e nós estamos pensando em fazer pequenos chaveiros-neurônios para vendermos na feira de artesanato do colégio, afinal um neurônio extra pode fazer diferença...

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Dia da Terra: Good Vibrations — The Responsibility Project

Hoje é um bom dia para ampliarmos as expectativas sobre nossas responsabilidades para com os outros. Feliz dia, Terra.





Vi este vídeo pela primeira vez aqui.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Presente feito à mão: elefante de pano


O Original: cinza, de feltro

Minha "releitura": bolinhas

Imagens: Helena Ganzert

Meu primeiro boneco de pano - um elefante de bolinhas! A intenção era retribuir um presente que ganhamos (um CD com canções de ninar, lindo) e fazer algo especial para o Bernardo, que tem um ano. Aproveitei a oportunidade para tirar o modelo do elefante de feltro da Sílvia (que ela comprou numa feira de usados em Vancouver) e que eu acho fofo. Usei os materiais que tinha em casa e fiz o bicho em algodão com olhos de botão (super bem costurados para resistirem a meninos de um ano!). Como copiar, pura e simplesmente, é feio, dei um toque diferente: aquela espécie de "sela" serviria para o Bê carregar uns bonequinhos nos saquinhos laterais. Mas algo me impediu de entregar o presente: o Benjamin, que nunca havia agarrado de verdade brinquedo nenhum segurou firme o elefante pelo rabo e passou muito tempo brincando com ele, encantado - e eu olhando, encantada também. Bernardo, desculpe, mas já estou fazendo outro, bem bonito pra você pois este ficou para o Benjamin.

terça-feira, 13 de abril de 2010

A invenção do Cotidiano


Que semana a que passou! Não pude fazer o checapão das meninas no começo do ano pois estava com o Benjamin recém-nascido, então esta foi a semana de visitar todos os médicos, tomar a vacina da Influenza H1N1, cuidar de um bebê em pico de crescimento e ainda por cima retornar à universidade. Não lembrava mais como era viver sob tanta pressão do tempo e das tarefas. O resultado foi este blog empoeirado e sem novidades...não se pode ter tudo (não mesmo?). A máquina de costura saiu da escrivaninha e deu lugar aos livros e cadernos de notas. Estou reinventando o meu cotidiano - e com síndrome de abstinência de costurar! Mas depois de quinta-feira, dia em que apresento minha leitura do livro "A Invenção do Cotidiano" de M. de Certeau (sincronicidade, não?), volto a inventar moda.

terça-feira, 6 de abril de 2010

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Porque hoje é sábado - e de Aleluia...






É dia de pegar toalha e cesta e fazer piquenique no Parque Tingui. Tem coisa mais "pasqualina" que lanchar apreciando o visual de um ovo gigante? É que o parque tem um memorial aos imigrantes ucranianos e um monumento enorme em forma de pessanka (aqueles ovinhos pintados à mão para saudar a Páscoa).
As fotos são do Sábado de Aleluia do ano passado, que foi inesquecível: comemos Muffins de Nutella, passeamos e lemos deitados na grama, tudo sob um céu incrivelmente azul. À tarde os católicos promovem uma benção dos alimentos, para garantir fartura em sua casa durante o ano...Como afirma Gilberto Gil:"a fé não costuma faia", então estarei lá com meu pãozinho.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Comidas que confortam



Conforto às vezes está em um sapato, numa malha, no travesseiro cheiroso, no pijama de flanela...hoje estava no pratinho sobre minha mesa e no aroma de canela que ficou pela casa enquanto assava este Bolo de Banana com Castanha e Passas. A receita vem deste blog incrível. Bem estar com uma xícara de café.